2 Sobreviventes de tiroteio em escola cometem suicídio

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Líderes da Flórida estão enviando mais recursos de saúde mental para a comunidade da Escola Secundária Majory Stoneman Douglas, depois que dois sobreviventes do tiroteio em Parkland se mataram a menos de uma semana um do outro.

No sábado, um estudante do segundo ano de Parkland se tornou o segundo sobrevivente em uma semana que tirou a própria vida, de acordo com a polícia de Coral Springs. Apenas alguns dias antes, outro sobrevivente chamada Sydney Aiello também cometeu suicídio.

A mãe de Aiello disse à CBS Miami que sua filha passou a sofrer com a Síndrome do Sobrevivente após o tiroteio que ocorreu no ano de 2018, sendo logo em seguida diagnosticada com transtorno de estresse pós-traumático. O Gabinete Médico Legal do Condado de Broward disse que Aiello morreu de um ferimento por arma de fogo.

Os dois suicídios chamaram os legisladores da Flórida a dedicar mais dinheiro aos serviços de saúde mental da comunidade da Escola Secundária Majory Stoneman Douglas. 

Agora é a hora de a Legislatura da Flórida ajudar“, disse Jared Moskowitz, diretor de gestão de emergências da Flórida e ex-deputado estadual de Parkland.

Líderes locais não estão esperando que os legisladores estaduais avancem. 

No domingo, dezenas de escolas, condados, cidades, policiais e especialistas em saúde mental realizaram uma reunião de emergência. 

O Miami Herald relata que o distrito escolar dará aos pais o “Protocolo da Columbia”, uma série de seis perguntas a serem feitas a seus filhos. As respostas a essas perguntas determinarão quais recursos de emergência ou opções de terapia o filho precisa. 

Durante as férias de primavera, eu encorajo-o a ter tempo para falar com seus filhos todos os dias. Jantares são um ótimo momento para a conversa em família“, disse o superintendente Robert Runcie. “Precisamos remover o estigma de falar sobre suicídio”.

A polícia ainda não divulgou o nome ou a idade da segunda vítima de suicídio. Investigadores dizem que ele era um estudante do sexo masculino que estava na 10ª série e participou de Stoneman Douglas durante o tiroteio do ano passado. 

Como ocorreu o Massacre na Stoneman Douglas High School

Massacre na Stoneman Douglas High School foi um assassínio em massa que ocorreu em Parkland, na Flórida, na escola de ensino médio Marjory Stoneman Douglas High School, localizada na Região Metropolitana do Sul da Flórida. No atentado, 17 pessoas foram mortas e 15 foram hospitalizadas devido aos ferimentos, tornando o atentado como o massacre mais mortal em escolas. Nikolas Jacob Cruz, suspeito de ter realizado o atentado, foi preso logo depois do evento e confessou o tiroteio, de acordo com a Broward County Sheriff’s Office. Cruz, no entanto, foi acusado de 17 assassinatos premeditados.

Em setembro de 2017, foi relatado ao FBI que “Nikolas Cruz” havia feito postagens em redes sociais afirmando o desejo de se tornar um atirador profissional de escolas com sua AR-15. Em janeiro de 2018, um mês antes do atentado, o FBI recebeu outra informação de que Cruz havia feito uma ameaça de morte. No entanto, devido a um erro, o escritório policial de Miami não foi notificado da informação. A polícia e os promotores ainda não estabeleceram um motivo para o atentado, investigando os padrões disciplinares e comportamentos desconcertantes do acusado.

O tiroteio ocorreu na tarde de 14 de fevereiro de 2018, na escola de ensino médio Marjory Stoneman Douglas High School, em Parkland, na Flórida. Nikolas Cruz, o atirador suspeito, pediu uma viagem de Uber e chegou à escola às 14:19 EST. Carregava consigo uma mochila e uma bolsa grande.

Cruz entrou no edifício do primeiro ano do ensino médio, um prédio de três andares que contém 30 salas ocupadas por 900 estudantes e 30 professores. Em seguida, ativou os alarmes enquanto estava armado com o fuzil Smith & Wesson M&P15 e várias munições, dando início ao tiroteio indiscriminado contra estudantes e professores. O fuzil foi adquirido de forma legal em uma loja de armas próxima à cidade de Coral Springs, em fevereiro de 2017.[10] Aproximadamente às 14:21, próximo ao horário do intervalo, membros da equipe escolar ouviram os tiros e ativaram o “código vermelho”.

A fuzilaria durou seis minutos,após Cruz descartar sua arma e abandonar a cena do crime correndo junto com os estudantes. O atirador dirigiu-se ao Walmart, onde comprou refrigerante na filial do Subway presente no hipermercado. Após isso, dirigiu-se ao McDonald’s e saiu às 3:01. Cerca de 3:40 p.m., foi parado por um oficial de policia de Coconut Creek, na localização de 4700 Wyndham Lakes Drive, em Coral Springs, e levado sob custódia. As câmeras de segurança da escola registraram Cruz como o autor do ataque.

Assine nossa Revista Online Gratuitamente: 

Nenhum spam garantido



Fonte: Portal Padom

Administrador

Administrador

Deixe sua mensagem

ouça a melhor rádio do brasil no seu celular

Portal de comunicação com foco na informação e divulgação de costumes cristãos

Copyright 2021 © Gospel Planet