Adolescente de comunidade ganha festa de 15 anos de missionária

4

Um gesto simples, porém muito significativo, está inspirando uma comunidade inteira em Campo Grande, graças ao Espírito Santo de Deus atuando através da vida de uma missionária, chamada Maria Izabel Rodrigues.

Maria criou um projeto de ação social chamado “Recriar”. Sua intenção foi ajudar uma comunidade carente localizada em Campo Grande, auxiliando na oferta de itens básicos como alimento e outros suprimentos. Todavia, a proposta foi muito além.

O salão do Projeto Recriar foi palco para a realização de uma festa de 15 anos, da adolescente Joice Camile Santos de Oliveira. Ela, moradora da comunidade e integrante do projeto, não imaginava que um dia poderia ter uma festa com direito a bolo, enfeites, roupas e até príncipe.

“Pensei que seria um bolinho com alguns balões, mas vivi um sonho”, disse a adolescente ao site Campo Grande News, ainda radiante por conta da comemoração. “A gente mora na favela, mas também tem vontades”, destacou, lembrando do quanto sonhou com o momento.

“Via outras meninas tendo festa e pensava que eu também queria viver aquilo. Mas como meu pai e minha mãe não tinham condições eu já tinha perdido as esperanças”, disse Joice.

“Foi, então, que eu cheguei a falar para a pastora e para a Thamara que gostaria de ter uma festa de 15 anos. Elas disseram que fariam a festa e nem acreditei muito. Não foi uma festa qualquer, foi ‘a festa’, nunca imaginei”, contou.

Cerca de 100 convidados da comunidade estiveram na festa, feita em 10 de maio passado, além dos integrantes do Projeto Recriar. O pai e a mãe de Joice, além dos irmãos, também comemoraram a realização da adolescente.

“Minha família gostou muito, minha mãe agradeceu muito a Deus e a pastora e todos que ajudaram. Agora as outras crianças estão loucas para fazerem 15 anos”, contou Joice.

Para a missionária Maria, a iniciativa segue uma lógica muito bem construída no amor a Cristo e também na prevenção dos problemas sociais. Ela explica que é investindo nas crianças e adolescentes que a sociedade consegue evitar problemas lá na frente.

“Se as crianças são o futuro, como as abandonadas poderiam dar bons frutos? Mas como, se o presente é decadente? A maioria do projeto mora no lixão desativado. Então percebi que minha atitude poderia ser uma prevenção”, conta a missionária.

“No caso da Joice, ela foi a primeira a chegar. Eu conheço a história dela e me emociono em saber que já mudou”, conclui Maria.



Fonte: Gospel Mais