“O sangue dos mártires é a semente da igreja”, diz sobrevivente de ataque no Sri Lanka

3

Os atentados do domingo de Páscoa deixaram marcas profundas no Sri Lanka, deixando pelo menos 258 pessoas mortas e mais de 500 feridas. Entre as vítimas estão 29 membros da igreja evangélica Sião, que tem superado a tragédia através da fé.

Dentre os mortos na igreja, 14 eram crianças que tinham acabado de sair da classe de escola dominical e tomavam um lanche. Uma das vítimas era Jackson, de 13 anos, filho único de Arasaratnam Verl.

“Eles não foram mortos, eles foram semeados, pois são como sementes. O sangue dos mártires é a semente da igreja”, disse Verl à Portas Abertas, citando Tertuliano, um dos pais da igreja no Norte da África.

Além do filho, Verl perdeu a irmã, Verlini, 36 anos, que era a professora das crianças na escola dominical, e o marido dela, Ranjith, 39 anos. O casal deixou dois filhos: Eliza, 6 anos e Rufus Isaac, 8 anos, que se feriram na explosão.

“Jesus morreu na Sexta-Feira Santa e ressuscitou no domingo de Páscoa. Meu filho, minha irmã e meu cunhado morreram, mas foram ressuscitados com Jesus naquele dia”, afirma Verl. “Eu sou nada, Jesus é tudo. Meu filho foi meu por 13 anos, mas é Dele para sempre”.

Depois do massacre, o Exército do país está em todas as partes. Os soldados bloqueiam estradas, revistam veículos, procuram materiais suspeitos e vigiam lugares de culto, como igrejas e mesquitas.

Com o templo interditado, a igreja Sião passou a se reunir em um pequeno salão comunitário na cidade de Batticaloa. Ali, centenas de adoradores enchem o lugar, com mãos erguidas em louvor a Deus.

Os cristãos clamam por cura e pedem para Deus ajudá-los a perdoar e amar. “Eles são mártires e agora estão em casa com Jesus”, afirma o pastor da igreja, Roshan Mahesan.

Cinco membros da igreja estão no hospital de Colombo e outros no hospital de Kandy; outros estão na UTI.

A Portas Abertas atua no Sri Lanka em várias frentes há anos e iniciou uma campanha em prol do país. A missão ainda pede que cristãos de todo o mundo orem pelos sobreviventes do ataque e clamem “pela cura do Senhor sobre seu povo”.



Fonte: Guia me