Vazamento de mensagens de Moro é ação de “bandido”

24

 

A invasão dos celulares de integrantes da Operação Lava-Jato e o vazamento parcial do conteúdo das conversas trocadas entre promotores e o então juiz Sérgio Moro vem dominando o noticiário desde domingo, 09 de junho.

O pastor Silas Malafaia publicou um vídeo em que expressa indignação com a postura da imprensa e de parte dos políticos diante do crime cometido para expor diálogos trocados durante as investigações que resultaram, dentre outras, na condenação do ex-presidente Lula (PT).

“Que país é esse, minha gente, que o sigilo de um juiz federal e um procurador do Ministério Público é quebrado por bandido, vagabundos, que querem desmoralizar aqueles que tem sido ferrenhos no combate ao crime pela [Operação] Lava-Jato?”, questionou.

“O site que divulgou… olha que graça: o dono do site é ‘marido’ de um deputado federal do PSOL. Eu não conheço esse negócio de marido de homem, mas esse não é o assunto. Isso é uma vergonha. Olha o que esses esquerdopatas são capazes! Todo mundo sabe que o PSOL é um puxadinho do PT”, afirmou Malafaia, referindo-se ao The Intercept BR.

O líder da Assembleia de Deus Vitória em Cristo aprofundou suas críticas: “O que eu fico indignado é de ver a imprensa dar uma ênfase e ver deputado inescrupuloso falando em CPI. Que prova é essa? Isso não é prova, isso é crime! Tem que ir para a cadeia esses vagabundos todos que divulgaram isso. O crime é o que eles cometeram: fizeram a maior roubalheira da história política do Brasil e que eles estão engasgados com o [ex] juiz Moro e querem desacreditar o cara”, teorizou.

“Grande parte dos jornalistas é esquerdopata”, disparou o pastor. “Sabe qual é o jogo? Não apenas desacreditar a Operação Lava-Jato, mas atingir Bolsonaro, porque o cara é ministro do governo Bolsonaro. É essa imprensa, que coisa criminosa dá ênfase, e dá voz a deputado vagabundo esquerdista bandido que bate palma e pede ‘Lula Livre’, dá voz para esses caras falaram ‘tem que ter uma CPI’. De quê? De um crime contra autoridade?”.

Assine o Canal

‘Lula Livre’

Dois dias depois do vazamento, o ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), aceitou colocar em votação um pedido de habeas corpus da defesa do ex-presidente.

Nesta terça-feira, 11 de junho, a segunda turma do STF irá julgar durante a sessão o recurso que vinha sendo avaliado no plenário virtual, um mecanismo em que os ministros postam os votos em um sistema eletrônico, sem a necessidade do encontro físico, de acordo com informações do jornal O Globo.

O recurso apresentado pelos advogados de Lula em abril contesta uma decisão do ministro Felix Fischer, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), que em 2018 rejeitou um pedido de absolvição de Lula no processo do triplex do Guarujá, que motivou a prisão do ex-presidente.

Para os advogados, Fischer não deveria ter julgado o caso sozinho, e sim levado a discussão para a Quinta Turma do STJ, que conduz as ações da Operação Lava-Jato que chegam ao tribunal.

Bolsonaro

“Nós confiamos irrestritamente no ministro Moro”, disse o presidente Jair Bolsonaro (PSL) após ser informado sobre o vazamento das conversas trocadas entre o então juiz e o procurador Dallagnol. A revelação foi feita pelo secretário de Comunicação da Presidência, Fabio Wajngarten.

Fonte: Gospel Mais