“Acho que mereço um pouco mais de confiança”

Pastor Claudio Duarte (Reprodução)

O pastor Claudio Duarte aceitou um convite para palestrar em um evento da maçonaria do Espirito Santo. Isso acabou gerando uma enorme polêmica no meio gospel, principalmente pelo fato de que, alguns lideres religiosos não concordaram com a atitude do pastor, em aceitar participar de um evento promovido pela fraternidade.

Apesar de parecer algo impensável ou intolerável por parte dos fiéis, a notícia não desagradou a todos, uma boa parte dos inúmeros comentários sobre o caso, são de apoio ao pastor. A grande maioria dos seguidores de Duarte dizem acreditar que ele sabe o que está fazendo, e até o parabenizam pela coragem de ir “pregar” para maçons.

A repercussão da notícia foi tão grande, que ele acabou se manifestando sobre o caso. O pastor gravou um vídeo explicando que aceita convites para participar de vários programas de TV, mas ressalta que nunca negociou seus princípios ou sua fé, e enfatiza; “Nunca envergonhei o evangelho”.

+ Pastor Claudio Duarte muda de visual após problema de saúde

Ele diz no vídeo, que foi convidado para ir a um determinado local, referindo-se ao evento promovido pela maçonaria. O pastor promete esclarecer sobre o anúncio que está sendo divulgado, se referindo a um vídeo que circula em grupos de Whatsapp, e exclama: “Acho que mereço um pouco mais de confiança”.

O vídeo foi publicado em sua conta no Instagram, com a promessa de que, nos próximos videos, ele irá explicar melhor sobre a decisão de aceitar o tal convite.

Assista:

Pastores não se suicidam há 5 meses: o que explica mortes no fim de 2017?

O ano de 2017 foi definitivamente um ano difícil para os evangélicos, mas nada se comparou ao fato histórico de termos testemunhado a morte por suicídio de tantos pastores.

Os meses entre Novembro e Janeiro, deixaram como saldo, quatro pastores mortos. Na maioria dos casos, o argumento usado pela família para justificar os suicídios, foram quase sempre “depressão”.

+ Quem eram os pastores que se suicidaram em 2017? Conheça cada um deles.

As mortes por suicídios de pastores começaram a chamar a atenção, depois que o pastor Julio Cesar foi encontrado mortoEle era uma grande liderança na Assembleia de Deus em Araruama, na região dos lagos, Rio de Janeiro. Sua morte chocou a comunidade evangélica, e pastores amigos disseram não entender como ele pode tomar tal decisão.

A partir dai, o pastor Moisés Ricardo, da Assembleia de Deus  da cidade de Cornélio Procópio, no interior do Paraná, também foi encontrado morto, seguindo o mesmo modus operandi.

O último suicídio registrado pela mídia em 2017, envolvendo um líder religioso, foi o da pastora Lucimari Alves Barro, da cidade de Criciúma em Santa Catarina.

Ela também tirou a própria vida usando uma corda, e sua morte assustou ainda mais os evangélicos. Ela era pastora da Igreja do Evangelho Quadrangular.

Já em 2018, no dia 29 de janeiro foi registrada a morte, também por enforcamento, do pastor da Igreja Assembleia de Deus Ministério Rio Comprido, na cidade de Espera Feliz em Minas Gerais, Gilson Genário Rodrigues. Esse foi o primeiro caso de suicídio de um pastor, registrado pela imprensa em 2018.

Desde então, 5 meses se passaram e as mortes por suicídio de lideres religiosos, simplesmente pararam.

É possível que algum fenômeno espiritual tenha ocorrido durante este período, ou foi apenas mera coincidência? Comente abaixo com sua opinião.



Fonte: Fuxico Gospel