Conecte-se

Arqueólogos descobrem local que abrigou a Arca da Aliança, em Israel

Uma plataforma descoberta por arqueólogos em um convento católico no centro de Israel pode ter sido um antigo abrigo da Arca da Aliança. Descoberto em Quiriate-Jearim, o local apresenta evidências sobre os reinos irmãos de Judá e Israel.

De acordo com a Bíblia, ç abrigou por 20 anos a Arca da Aliança até ser levada a Jerusalém pelo rei Davi. Por outro lado, o pódio elevado e retangular, desenterrado no topo de uma colina da Judeia, não apresenta pistas sobre a Arca em si.

Ao contrário de outros especialistas que trabalham na região, o arqueólogo israelense da Universidade de Tel Aviv, Israel Finkelstein, não acredita na existência da Arca. Ainda assim, ele afirma que a descoberta poderia levar a informações sobre os eventos políticos nos tempos bíblicos.

“As escavações em Quiriate-Jearim lançam luz sobre a força de Israel no início do século VIII, incluindo, possivelmente, sua dominação de Judá”, disse Finkelstein ao site Times of Israel.

A equipe de escavação sugere que o objetivo na época era “legitimar Quiriate-Jearim como o novo santuário da Arca”. “A plataforma foi construída para acomodar um complexo administrativo israelense, incluindo um templo, destinado a dominar o reino de Judá”, disse Finkelstein.

Quiriate-Jearim em si é um importante local bíblico, citado em 1 Crônicas 13:5-6: “Davi reuniu todos os israelitas […] para trazerem de Quiriate-Jearim a arca de Deus. Davi e todos os israelitas foram a […] Quiriate-Jearim, em Judá, para buscar a arca de Deus”.

Outros arqueólogos unem sua fé religiosa à busca de pistas relacionadas à Bíblia, como Scott Stripling, da Associates for Biblical Research. “Estamos tomando a Bíblia como um documento histórico sério”, destacou.

Recentemente, a afirmação de que a Arca da Aliança está dentro de uma igreja na Etiópia foi contestada. A suposta descoberta foi baseada em relatos antigos do historiador britânico Edward Ullendorff, que alegou ter visto a Arca dentro da Igreja de Nossa Senhora Maria de Sião em Aksum, no norte do país, durante a Segunda Guerra Mundial.

Segundo Tudor Parfitt, professor na Escola de Estudos Orientais e Africanos da Universidade de Londres, Ullendorff viu uma cópia, e não a Arca original. “O que ele viu foi o que você encontra em qualquer igreja etíope, que é um modelo da Arca da Aliança”, disse o professor à Live Science.



Fonte: Guia me

Deixe sua mensagem