Condomínio despeja viúva idosa por evangelizar vizinhos e ofertar orações

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

O estado da Califórnia está investigando um caso em que uma viúva idosa teria sido forçada a deixar seu apartamento devido a suas convicções religiosas e idade avançada.

Diana Martin, 85 anos, morou no condomínio Windgate Village na cidade de Hanford por quase 14 anos. Em fevereiro, ela foi informada pelo proprietário John Draxler – que é vice-prefeito da cidade – que ela estava sendo despejada.

Embora Diana tenha ficado meses no arrendamento anual e seu aluguel tenha sido integralmente pago, seus advogados dizem que Draxler citou sua prática religiosa de compartilhar sua fé e oferecer-se para orar pelas pessoas como razões pelas quais ela precisava encontrar uma nova casa.

O proprietário sabia que Diana estava se recuperando de sérios problemas de saúde. No dia em que foi comunicada, a idosa chorou alegando que era inverno e ela não tinha filhos morando perto, Draxler teria dito a ela que esses detalhes não eram problema dele.

Segundo informações da emissora Christian Broadcasting Network (CBN News), um filho de Diana conversou com o proprietário e ouviu dele que os motivos do despejo eram a fé de sua mãe e a idade avançada. No entanto, o principal motivo para que Diana tenha escolhido viver no condomínio após ficar viúva foi que eles haviam sido anunciados como residências de idosos.

John Draxler comprou o complexo de apartamentos há alguns anos e, segundo relatos, trouxe inquilinos mais jovens, removendo os mais antigos. Diana Martin saiu com relutância do apartamento dela, e então contatou o Pacific Justice Institute (PJI) para obter ajuda.

Os advogados da PJI ficaram surpresos com o que encontraram. Além das razões discriminatórias oferecidas para o despejo, os advogados notaram que o aviso dado a Diana tinha claros erros quanto ao prazo.

Depois que as negociações com o proprietário foram interrompidas, a PJI entrou com uma acusação de discriminação no Departamento de Emprego e Habitação da Califórnia: “O que aconteceu com nossa cliente, Diana Martin, estava errado em muitos níveis”, disse o advogado da PJI, Matthew McReynolds, em um comunicado à imprensa.

“Ninguém deve ser despejado com base em sua expressão religiosa, mas especialmente não no caso uma bisavó idosa. Estamos esperançosos de que uma investigação do Estado e medidas corretivas garantam que isso não aconteça com ninguém nesta comunidade”, acrescentou McReynolds.

Além das razões discriminatórias dadas para o despejo, o proprietário alegou que Diana era “combativa” com a administração. Um dos conflitos entre ela e o condomínio resultou de sua tentativa de tirar seu espaço de estacionamento de longa data e transferi-la para outra a uma certa distância de sua porta e ao lado de uma lixeira. Diana havia levantado preocupações de segurança sobre os moradores de rua que procuram comida na lixeira, de modo que a medida parecia uma retaliação, de acordo com a PJI.

“Defender-se contra um valentão de gestão como este não é motivo para um despejo, é apenas senso comum”, observou McReynolds. “Espero que todos nós possamos ser descritos como combativos se alguém tentar tratar nossas mães, avós ou bisavós dessa maneira”, concluiu o advogado.



Fonte: Gospel Mais

Administrador

Administrador

Deixe sua mensagem

ouça a melhor rádio do brasil no seu celular

Portal de comunicação com foco na informação e divulgação de costumes cristãos

Copyright 2021 © Gospel Planet