Conecte-se

“Deus me aperfeiçoava” pela fé, diz cristã que teve membros amputados

Um dia idealizado para ser de plena diversão junto ao namorado, transformado no pior pesadelo da vida de Kaylene Murphy. Com apenas 32 anos de idade, ela saiu com Josh Baker em 30 de junho do ano passado para praticar escalada em um parque em Montana, nos Estados Unidos, quando algo terrível aconteceu.

O casal estava a cerca de 12 metros de altura. Nessa modalidade de esporte, um dos maiores riscos é a “pegada” errada em partes da rocha que são frágeis, podendo se desprender, o que acarreta não apenas a queda do alpinista, como o deslizamento de rochas morro abaixo.

Foi exatamente isso o que aconteceu com o casal. Josh segurou em uma fenda com uma das mãos, que cedeu, fazendo deslizar uma rocha. Kaylene que estava na parte de baixo, foi atingida pela pedra, caindo do alto.

O impacto da rocha sobre o corpo de Kaylene foi tão danoso que ela teve múltiplas fraturas e lesões. Seu pulmão foi perfurado, parte de seu cérebro foi atingido, provocando um mini acidente vascular cerebral (AVC) e várias fraturas: a mão, as costas, o nariz, o esterno, a escápula, a clavícula e as costelas.

Levada para o hospital, os médicos tiveram que amputar a perna e mão esquerdas de Kaylene. Apesar do estado crítico, sua mãe nunca duvidou que a filha sairia com vida da UTI. “Eu nunca pensei que ela ficaria paralisada, nunca pensei que ela ficaria em estado vegetativo”, disse Crystal Christison à AG News.

“O mesmo poder que ressuscitou Jesus dos mortos vive em nós, então eu sabia que ela iria viver e ficaria bem”, destacou. Para isso, no entanto, ela reuniu em orações a congregação da Assembleia de Deus em que a família é membro. Todos formaram uma corrente de fé pela jovem.

Dois meses depois, Kaylene já havia recuperado suas funções cognitivas e estava na casa da mãe, realizando, contudo, trabalho de reabilitação. Seu namorado, Josh, pausou seu curso de pós-graduação para cuidar da companheira.

Apesar de tudo que passou, a jovem se mostra firme em sua fé, dizendo que essas dificuldades contribuíram para o seu amadurecimento espiritual.

“Todos os momentos de oração e adoração em que Deus me aperfeiçoava, me ensinando sobre confiança e amor, fizeram depósitos em meu espírito. Desde o acidente, sou capaz de aspirar isso”, disse ela.

“Coisas ruins acontecem, mas Deus continua sendo bom e gracioso comigo. Ele vai continuar me sustentando”, finaliza, segundo a AG News.



Fonte: Gospel Mais

Deixe sua mensagem