Ex-gay testemunha libertação, sofre ameaças e é agredido

A forma como a sexualidade humana é construída e vivenciada é singular. Isto significa que o destino que cada pessoa deseja dar para ela, também. No caso de Andrew Caldwell, ele escolheu seguir o que a Bíblia ensina como a vontade de Deus para todos nós, conseguindo abandonar o comportamento homossexual e hoje testemunhar como a sua vida mudou radicalmente.

Caldwell chamou atenção do público quando um vídeo com seu testemunho foi divulgado nas mídias. De lá para cá, a convicção da sua identidade sexual heterossexual apenas ganhou forma. Ele não apenas conseguiu abandonar o homossexualismo, como desenvolver atração pelo sexo oposto.

“Agora eu me sinto atraído por mulheres. Eu não me sinto mais atraído por homens. Eu estou liberto disso”, disse ele em uma entrevista recente, segundo o portal The Christian Post.

A homossexualidade em Caldwell, ao que parece, possuía raízes profundas, pois desde muito novo ele já sentia-se atraído por homens, mesmo frequentando a igreja. “Eu sempre participei da igreja”, disse ele. “Mas eu ia só para clamar a Deus e depois eu dormia com algum homem. Mas naquele dia a homossexualidade saiu de mim”.

O dia do qual Caldwell se refere foi o momento em que entendeu a necessidade de mudança. Para isso ele tomou uma atitude que foi o seu primeiro passo:

“Eu fui para a oração, peguei o microfone e o pregador perguntou: ‘O que você quer que Deus faça?’ Na manhã em que acordei, Deus me disse para ir a uma loja. Fui e comprei uma gravata borboleta, jaqueta e tudo o mais. Eu senti paz naquele dia”, disse ele sobre o vídeo gravado em 2014, na 107ª Convocação da Igreja de Deus em Cristo, em Missouri (EUA).

Preconceito e ameaças

A decisão de Caldwell lhe trouxe paz e felicidade, porque ele pôde, em fim, se reencontrar com a sua verdadeira orientação sexual biologicamente natural, a heterossexualidade. No entanto, isso também lhe trouxe alguns desafios, e o principal deles é o preconceito.

A falta de conhecimento sobre o assunto faz com que muitos desacreditem na possibilidade de mudança, ignorando a experiência real, de pessoas reais, dizendo que ela existe. Assim como provoca a ira de alguns movimentos que possuem interesses políticos e ideológicos sobre a comunidade LGBT.

“Eu disse que a igreja me fez viver. Na época, parecia que eu era uma farsa. Eu não estava pronto para isso”, disse Caldwell, referindo-se às críticas que vinham de todos os lados. Em 2015, cerca de um ano após o seu testemunho viralizar, ele foi vítima de um suposto assalto no estacionamento de um shopping.

Dois homens não identificados se aproximaram dele e deram um soco em seu rosto (foto de capa). Ao fugir em um carro, eles gritaram “eu não sou mais gay”, frase usada por Caldwell em 2014, quando testemunhou a sua transformação.

“Desde que falei sobre minha libertação do pecado da homossexualidade, tenho recebido mensagens ameaçadoras por e-mail e mídias sociais. Eu temo pela minha vida. Fui fisicamente e verbalmente atacado. Eu sinto que vou ter que fazer o que for preciso para me proteger, disse Caldwell na época, segundo o Rollingout.

Apoio da igreja

“Eu não estava pronto para ser jogado no centro das atenções. Eu queria me matar, mas recebi amor dos meus amigos em Cristo que me deram força”, disse ele, destacando que antes da sua decisão havia pensado em tirar a própria vida.

Finalmente, Caldwell agora sonha em construir uma família e já possui a pretendente.

“Sim, eu tenho uma namorada. Não se surpreenda quando tivermos o nosso casamento. Não fique surpreso quando tivermos pequenos Caldwells andando por aí”, conclui o rapaz.



Fonte: Gospel Mais