Grupo se reúne em hospital para orar por cantor e pessoas se entregam a Jesus

7

Uma multidão de pessoas se reuniu no Hospital Adão Pereira Pereira Nunes em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, para orar pelo cantor gospel Elyon Sosthenes, baleado na cabeça durante uma tentativa de assalto na madrugada desta segunda-feira (8).

Segundo a polícia, Elyon estava retornando de seu trabalho como motorista de aplicativo quando foi abordado por criminosos. Ele foi baleado na cabeça e no pescoço. De acordo com as investigações da 62ª DP (Imbariê), Natalício Santos Sardinha, conhecido como Bola, é o principal suspeito de atirar no cantor.

Pessoas de diversas igrejas se reuniram no estacionamento do hospital na terça (9) para interceder pela saúde de Elyon, que permanece em estado grave. Enquanto oravam, nove pessoas se reconciliaram com Deus, de acordo com o pastor Nelson Santos, sogro do cantor.

“Deus transforma o mal em bênção. Não é só o Elyon vai ficar curado, essas vidas aqui também serão curadas”, disse o pastor Nelson durante o momento de oração, que foi filmado e publicado nas redes sociais.

Mesmo em coma, o cantor reagiu quando soube do movimento de oração, segundo sua esposa, Mariane Sosthenes. “Ontem ao conversar com ele sobre nossa filha, saiu uma lágrima dos olhos do meu príncipe. E hoje conversando com ele sobre o culto que fizemos no estacionamento do hospital ontem à noite, e que alguns amigos voltaram para os caminhos do Senhor Jesus… De forma inacreditável ele apertou minha mão por alguns segundos e depois parou”, ela contou nesta quarta (10).

“Uns vão dizer que foram só espasmos musculares, mas eu sei que não foi e sei em quem eu tenho crido e sei também que Jesus está transformando o mal em bênção!”, acrescentou Mariane em um post no Facebook.

Estado de saúde

O irmão de Elyon, Thiago Douglas, informou que o cantor passou por uma cirurgia na segunda-feira. Desde então, a equipe médica tem notificado a família sobre a evolução no quadro clínico do músico.

Mariane disse às pessoas que se reuniram no estacionamento do hospital que o marido voltou a urinar e teve a pressão sanguínea estabilizada. Ela pediu oração pela pressão intracraniana que continua alta. 

“Ele chegou aqui praticamente morto, porque ele estava em Glasgow 3, que é uma escala de coma. Então ele estava praticamente com morte cerebral quando chegou aqui”, contou Mariane. “Ele está vencendo a cada minuto. Continuem orando porque eu creio que vai ser milagre para contar”.

Fonte: Guia-me