Igreja faz cultos em frente a clínica de aborto nos EUA: “São portões do inferno”

O pastor Ken Peters, da Igreja da Aliança, começou a fazer cultos ao ar livre em frente à clínica de aborto Planned Parenthood em Washington, com os membros de sua congregação. É um culto com louvor, aforação, ministração da palavra de Deus e orações, como se estivessem dentro de sua igreja local.

“Estamos lá para adorar a Deus. Estamos lá para orar. Estamos lá para pregar o Evangelho”, disse o pastor Ken em entrevista à CBN News.

Ken Peters conta que a ideia de abrir uma igreja na porta da clínica surgiu quando ele sentiu o “Senhor provocar nele o desejo de lançar a luz do Evangelho nas profundezas das trevas e do mal”. O pastor diz que sentiu que o Espírito Santo o estava conduzindo à Planned Parenthood para alcançar esse propósito.

Com esse objetivo em seu coração, o pastor reuniu um grupo de crentes fiéis da Igreja da Aliança (Covenant Church), da qual é líder, para começarem os cultos no local. Ele acredita que a igreja é a única esperança de acabar com o número excessivo de aborto na América.

Ele diz que a ideia não era fazer protesto, com cartazes ou outros materiais, mas sim “plantar uma igreja” em frente à Planned Parenthood. Com isso, ele diz que tornaria a missão da congregação naquele lugar mais clara: “É um culto de adoração nos portões do Inferno”, disse.

“A Igreja na Planned Parenthood é uma reunião de cristãos para a adoração a Deus e oração por arrependimento por esta nação, arrependimento pela igreja apática e arrependimento de nossa culpa pelo sangue neste holocausto, que é o aborto”, explicou.

Na entrevista, Ken Peters aproveitou para desafiar os cristãos a enfrentarem as “injustiças ao nosso redor” e exortou os crentes a enfrentá-las com o poder do Espírito.

O pastor Ken se lembrou do momento em que Deus falou com ele sobre esta iniciativa de plantação de igrejas naquele local.“Eu senti o Senhor dizendo para mim, bem no meio de um culto na igreja: ‘Eu quero que o seu próximo campus da igreja seja o Campus da Planned Parenthood’”, disse ele.

Impacto

O pastor disse que começaram os cultos respeitando as regras sobre o local exato onde eles poderiam se reunir e o que eles poderiam fazer. Ele fala que no último culto havia mais de 300 pessoas no frio participando do culto.

Além disso, Ken Peters conta que o impacto do trabalho realizado pela igreja no local foi imediato, com os cultos sendo transmitidos ao vivo. “Os números de participação da primeira semana da igreja foram incríveis, havia cerca de 65.000 pessoas sintonizadas no Facebook ao vivo”, disse.

O pastor chamou a epidemia de aborto nos Estados Unidos de “holocausto”, observando que os cristãos devem procurar ser sal e luz nesses lugares assassinos.



Fonte: Guia me