Conecte-se

Kleber Lucas polemiza ao afirmar que o hino “Alvo Mais que a Neve” é racista

O pastor e cantor Kleber Lucas voltou a ser centro de polêmicas. Após regravar o sucesso “Deus Cuida de Mim” com Caetano Veloso, o artista participou de um bate-papo comandado por Caetano no canal do Mídia Ninja ao lado de Leonardo Gonçalves, AD Junior e Juliano Spyer para falar sobre todas as questões que envolvem a religiosidade do povo brasileiro.

Em determinado momento, Kleber falou acerca do hino da Harpa Cristã 39 – “Alvo Mais que a Neve” – cantado por muitas igrejas em cultos de batismo ou de Santa Ceia. A canção foi escrita em 1881 por Eden Reeder Latta e teve arranjos criados por Henry Southwick Perkins. Só em 1914 que ele ganhou uma versão em português pelas mãos de Henry Maxwell Wright.

– Tem um hino que fala o seguinte: “Alvo mais que a neve”. Se você aceitar Jesus, você vai ficar branco como a neve. Isso é cantado por brancos e negros com lágrimas. Por que o sangue de Jesus me torna branco? As ideias de embranquecimento estão lá no hino – destacou Kleber Lucas.

Apesar da entrevista ter acontecido no dia 08 de dezembro, ela veio à tona nesta quarta-feira (14) e recebeu o repúdio de parte da liderança evangélica. A cantora e pastora Eyshila, que inclusive já gravou canções de Kleber Lucas, foi uma das que se opôs ao discurso do artista. Em seu Instagram, ela publicou um vídeo cantando “Alvo Mais que a Neve” e citou o texto do Salmo 51:7 – “Purifica-me com hissopo, e ficarei puro; lava-me, e mais branco do que a neve serei”

– A Bíblia nunca ficará ultrapassada! A Palavra de Deus será eternamente inspiração para as mais belas canções. Ame a Palavra, ore usando a Palavra e cante a Palavra! Agora fica meu desafio pros meus amigos cantores. Gravem sua versão de “Alvo Mais Que a Neve”. Desafio lançado! – disse a cantora.

O pastor Renato Vargens, da Igreja Cristã da Aliança, em Niterói (RJ), publicou um longo texto em suas redes sociais abordando o tema. O líder cristão afirmou que “quando a ideologia prevalece sobre a Bíblia, surgem frases e pensamentos equivocados”.

– A canção não foi composta numa perspectiva racista e que visava e imposição de uma supremacia branca. Longe disso. Portanto, afirmar que esse texto aponta para um tipo de hegemonia branca é mais do que ideologizar a fé, é na verdade, distorcer a ortodoxia, aplicando ao autor da canção e ao texto sagrado uma visão liberal, profana e que não coaduna com as Escrituras, até porque, a Palavra de Deus em hipótese alguma defende o racismo. Atribuir à Bíblia um viés ideológico, além de ser um grave erro hermenêutico é uma tentativa de produzir narrativas descontrucionistas cujo o objetivo final é por em cheque a inerrância das Escrituras – declarou Renato.

Vale lembrar que em 2005, no elogiado álbum “Casa de Davi, Casa de Oração”, o próprio Kleber Lucas gravou um trecho da canção “Alvo Mais Que a Neve” na faixa “Doxologia”, que encerra o disco.

Rafael Ramos

Rafael Ramos

Deixe sua mensagem