Maio: mês das mães e das noivas e também o mês dos sonhos e do amor

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Maio é conhecido como o “mês das noivas”, mas também é o mês das mães. São duas etapas especiais na vida de uma mulher. Quando ela inicia uma nova vida e quando ela gera uma vida. Para as noivas, a história da escolha deste mês possui origem europeia, já que por lá é o início da primavera, onde as flores estão mais disponíveis e a paisagem ajuda a formar um cenário incrível para uma cerimônia de casamento. Quem não deseja ter um dia assim tão especial? Mas, aqui no Brasil, maio é considerado o mês das noivas por diversos outros motivos. Um deles é também a celebração do dia das mães.

O casamento é a ocasião de juntar a família, celebrar com os amigos e homenagear tanto a mãe da noiva, quanto a mãe do noivo. E poder fazer uma cerimônia como essa, logo após uma pandemia, teve um significado ainda maior, para quem casou neste período. Para muitas famílias foi um misto de emoções. Ao mesmo tempo em que era festejado um momento tão especial, com amigos e familiares, o coração também ficava triste por alguma perda.

Sabrina Rodrigues ao lado do marido Marcelo e das filhas Ludmila e Luana | Foto: Arquivo Pessoal

Para Sabrina Rodrigues, empresária da Lu Rodrigues, foi um turbilhão de emoções esse período, pois no mesmo ano realizou o sonho de suas duas filhas. Uma completava 15 anos e teve sua festa de debutante, e a outra, viveu seu tão aguardado casamento. Imagine viver tudo isso em um mesmo ano e ainda ter que lidar com a crise na pandemia, “Casar uma filha e ainda ter outra vivendo um sonho de princesa, não tem preço… Foi muita emoção em um só ano”, destacou Sabrina, que trabalha há mais de 12 anos ajudando noivas a viver seu sonho de casamento. À frente da Lu Rodrigues, junto com seu marido, o empresário Marcelo Rodrigues, eles atuam no mercado de aluguel de roupas.

Cristiane Costa ao lado de Marcelo Rodrigues com o registro do casamento | Foto: Arquivo Pessoal

A administradora e cerimonialista Cristiane Costa, de 53 anos, está em outra fase do casamento. Mãe de um rapaz de 18 anos, ela comemora bodas de porcelana neste ano, sem esquecer detalhes da sua cerimônia de 20 anos atrás, quando pode contar com a consultoria de Marcelo Rodrigues para realizar a missão de conseguir seis vestidinhos vermelhos para suas daminhas e agora, planeja sua renovação de votos. Para ela, tudo é motivo de comemorar, tanto que festejou seus dez anos de casada e todo ano, desde que se casou, festeja de alguma forma seu aniversário de casamento. Seja com uma festa, reunião com amigos e familiares, ou viajando. Porém, sua comemoração de 20 anos, terá um significado diferente. Ano passado, devido à pandemia, Cristiane perdeu seu pai e sua sogra. Apesar da dor, ficam as lembranças da alegria de ter tido seu pai entrando com ela na igreja em seu casamento, mesmo depois de três infartos.

Recordar isso é uma vitória, claro que fica a saudade, mas ela tem a certeza que ele estaria feliz com esta comemoração de bodas de porcelana. Mesmo não sendo a festa que ela gostaria, vai ser um momento de celebrar a vida e o amor. “Comemorar é muito importante! Principalmente ao lado das pessoas que compartilharam com a gente essa felicidade desde o início, e ainda estão conosco! Uma renovação como essa é muito importante! Eu acho que a gente tem sempre que comemorar! Comemorar por estar junto, festejar a vida, a felicidade, a união, o amor! Passamos por um período tão difícil, né? Nada mais justo que comemorar”, ressalta a cerimonialista.

Julia Varella ao lado do noivo, Vinícius | Foto: Arquivo Pessoal

Muitos planos e projetos foram adiados durante esse período de pandemia. A analista de importação, Julia Varella, de 24 anos, teve que adiar seu casamento, mas já está à procura do seu vestido de noiva. Quem imaginaria que o mundo inteiro viveria uma pandemia em larga escala? Enquanto eles recalculavam a rota dos próximos passos, seu noivo Vinicius, acabou perdendo o emprego.

Casa sendo montada, lua de mel com viagem agendada, preparativos a todo vapor… Tudo teve que ser repensado! E, enquanto eles estavam se reorganizando, uma surpresa inesperada os aguardava: um bebê. “Apesar de sonhar com a maternidade, eu não estava planejando a gravidez para este ano! Pensávamos em organizar a nossa casa primeiro, para depois receber um bebê. Queria deixar tudo em ordem, e além disso, também estava em treinamento na minha empresa para assumir um novo cargo, que me exigiria muita dedicação… Estamos recalculando o trajeto, mas estamos felizes! Um bebê é benção de Deus!”, compartilha Julia.

O desafio da maternidade inclui diversos sacrifícios, mas traz também inúmeras alegrias e realizações. Sabrina Rodrigues lembra bem quando teve sua primeira filha. “No começo é bem difícil, pois deixar um bebê numa creche de sete da manhã até às sete da noite, é bem puxado! Mas eu não podia me dar ao luxo de ficar em casa, tinha dias que eu até chorava escondido. Era muito cansativo conciliar a vida de dona de casa e empreendedora. Mas eu pedia forças a Deus para tranquilizar meu coração!”.

E este é o desafio de inúmeras mães brasileiras. Conciliar filhos e carreira é sempre um desafio. Mas para as mulheres esse fator ganha uma dimensão muito maior. Segundo dados da Fundação Getúlio Vargas, quase metade das mulheres que tiram licença maternidade perdem seus empregos em até 24 meses. Ser mãe realmente não tem horário de expediente e muito menos dia. É necessário encarar uma dupla jornada de trabalho e os questionamentos do mercado sobre a sua capacidade de desempenhar com êxito ambas as funções.

Julia ainda vai viver todas essas experiências, mas Sabrina sabe bem como é cansativa essa dupla jornada. Chegar de um dia inteiro de trabalho e ainda preparar a janta, arrumar a casa, a mochila do dia seguinte dos filhos, ver como estão os deveres de casa, e ainda cuidar do marido. Graças a Deus que vivemos numa época em que muitos maridos ajudam suas esposas, dividindo os afazeres, e diminuindo a carga diária, outros não, alguns não sabem achar nada em casa.

Por isso que mãe é mãe! E sempre será. Não é porque uma mãe trabalha fora que ela é ausente. Se você tem um propósito, o filho não é uma dificuldade. Pelo contrário, um filho pode ser o impulso que você precisa, como foi com Sabrina Rodrigues.

Hoje, eles ajudam outras mulheres a viverem o sonho do vestido ideal no casamento, nos 15 anos e em diversos outros eventos de gala. Hoje eles estão consolidados no mercado, mas para conquistar essa posição, foram necessários vários momentos de dor, dificuldade e humilhação. Sabrina relembra ainda a época como camelô. “Todos acham que empreender é a melhor coisa da vida e que vão ficar ricos da noite para o dia, indo para a praia todo dia! Queria que isso fosse verdade! Trabalhamos de domingo a domingo, mas como trabalhamos com o que amamos e para quem amamos, isso não nos causa nenhum peso! Amo o que eu faço e faria tudo de novo!”.

As filhas Ludmila e Luana (por isso a loja se chama Lu Rodrigues), foram combustível para Sabrina jamais parar ou desistir. E hoje ela inspira outras noivas a viver esse sonho tão especial, de encontrar o vestido dos sonhos. Inclusive, inspirados pelo trabalho, a Lu Rodrigues criou um reality só para noivas – “O Vestido dos Sonhos”, disponível em seu canal no YouTube e na Agathos Play. Cada episódio conta a história inspiradora de uma noiva, e na maioria dos casos, de suas mães. É encantador perceber como uma mãe se realiza ao ver sua filha, passando pelos mesmos momentos que ela um dia já passou.

Talvez por isso que maio seja o mês das mães e das noivas, pois ambas têm em comum o sonho de ter sua família e de vê-los bem, felizes e realizados. E essas mulheres guerreiras e sonhadoras merecem todo amor, carinho e respeito!

Rafael Ramos

Rafael Ramos

Deixe sua mensagem

CENTENAS DE RÁDIOS DE TODO BRASIL NO SEU CELULAR

Portal de comunicação com foco na informação e divulgação de costumes cristãos

Copyright 2021 © Gospel Planet