‘Não existe casamento gay’, diz John Piper sobre uniões homossexuais

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

“Um casal gay, uma vez convertido, deveria se casar?”. Essa pergunta, feita ao pastor e teólogo John Piper, motivou uma resposta que contextualizou o que é o casamento – instituição criada por Deus – e delineou os motivos que fazem os cristãos não considerarem a união entre pessoas do mesmo sexo como algo semelhante a ela.

Piper vem se dedicando nos últimos anos ao projeto Desiring God, que dentre outras ações, publica um podcast com debates sobre temas bíblicos e assuntos relacionados à vida cristã como um todo na sociedade contemporânea.

“Não, eu não recomendaria que dois homens ou duas mulheres que vivem juntos, praticando a homossexualidade, permaneçam nesse relacionamento”, começou Piper. “As razões são várias”, acrescentou o pastor.

Em sua resposta, Piper explicou que, enquanto os casais heterossexuais podem entrar em um casamento de uma forma que vai contra a Bíblia, eles podem tomar decisões para mudar isso. Quando se trata de uniões homossexuais, eles não podem mudar nada sobre seu relacionamento para movê-lo em uma direção bíblica, porque na base, é errado.

“Concluo que, embora fosse um ato adúltero se casar sob as condições que Jesus desaprova em Lucas 16, no entanto, isso é chamado casamento”, explicou ele. “O casamento é uma questão de fidelidade de aliança entre um homem e uma mulher. Portanto, eu encorajaria esse casal a se arrepender do que fizeram de errado e pedir perdão e consagrar sua união, a qual, embora não devesse ter acontecido, pode, todavia, ser santa diante do Senhor”, acrescentou o pastor.

De acordo com informações do portal FaithWire, Piper continuou a explicar que é impossível consagrar um casamento se não for um casamento em primeiro lugar. Ele argumentou que a união entre dois homens ou duas mulheres não é o casamento gay, porque conceitualmente não se trata de um casamento: “Você não pode consagrar um casamento que não deveria ter acontecido se não for um casamento. A união de dois homens e duas mulheres não é um casamento gay – não é casamento. Eu não gosto da ideia de que tantas pessoas estejam dispostas a usar o termo casamento gay em vez de chamar o assim chamado casamento gay, porque não existe tal coisa no universo como o chamado casamento gay”, enfatizou.

“Essa é a principal razão pela qual um relacionamento pode ser consagrado como um casamento sagrado e o outro não: um é um casamento e o outro não é um casamento – não importa quantas milhares de vezes os legisladores e as leis e juízes e comentaristas de notícias digam que é. Não é. Essa é a primeira diferença”, reiterou o pastor John Piper.

Em seguida, ele acrescentou que a homossexualidade é errada porque, por natureza, é um ato desonroso e vergonhoso: “Em outras palavras, as relações sexuais entre um homem e uma mulher não são, por natureza, desonrosas e vergonhosas”, afirmou, repercutindo a visão de complementaridade que existe no ato sexual entre pessoas de sexo opostos.

John Piper insistiu que não importa quanto arrependimento exista, não se pode transformar um ato desonroso e vergonhoso em “um ato que é santo ou puro ou honrado”. “É por isso que eu encorajaria dois homens ou duas mulheres envolvidas em tais atos a renunciar ao pecado, arrepender-se, pedir perdão em nome de Jesus e não mais fazer qualquer provisão para a carne, como Paulo diz em Romanos 13:14”, encerrou.



Fonte: Gospel Mais

Deixe sua mensagem

CENTENAS DE RÁDIOS DE TODO BRASIL NO SEU CELULAR

Portal de comunicação com foco na informação e divulgação de costumes cristãos

Copyright 2021 © Gospel Planet