Conecte-se
Search

Otoni de Paula diz que gostaria de ser boi se cresse em reencarnação

[ad_1]

O pastor Otoni de Paula (PSC-RJ) saiu em defesa de um projeto que transforma a vaquejada em patrimônio cultural do país, e afirmou que se acreditasse em reencarnação, gostaria de voltar na forma de um boi.

O líder evangélico da Assembleia de Deus é afeito a polêmicas e declarações chamativas. Estreante em Brasília, Otoni de Paula já ficou em maus lençóis perante seu eleitorado ao votar a favor da retirada do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (COAF) do Ministério da Justiça, comandado por Sérgio Moro.

Agora, Otoni chamou a atenção por misturar crenças de religiões espíritas com a defesa de um projeto controverso. Durante um debate sobre a existência ou não de maus-tratos a animais na vaquejada, o parlamentar afirmou que os bois são bem tratados ao longo de sua vida, e resolveu ilustrar o nível de sua confiança dessa forma: se acreditasse em reencarnação, gostaria de voltar como um boi de vaquejada.

De acordo com informações do jornal O Globo, o deputado Célio Studart (PV-CE), que é contra a proposta de transformar a vaquejada em patrimônio cultural brasileiro, ironizou: “Deus está ouvindo”.

Polêmicas

Em setembro de 2017, Otoni de Paula fez declarações desastrosas sobre a cantora Anitta, e a artista respondeu à altura.

No Facebook, Otoni publicou em sua página um texto em que questionava se Anitta era “cantora ou garota de programa”, e no texto, dizia que a artista abusava da sensualidade em seus clipes e shows, que arrastam multidões de crianças e adolescentes. “Não estou falando de moral, mas de responsabilidade com a imagem”, dizia o texto.

“É lamentável ver uma cantora talentosa como a Anitta se prestar a isso”, acrescentou o pastor. O texto, ao final, se referia à cantora como “vagabunda de quinta”, o que rendeu enorme repercussão nas redes sociais e chegou à cantora, que não se fingiu de desentendida e respondeu a agressão diretamente no post de Otoni.

“Se o senhor me contratou para um programa e tomou um bolo ou encontrou algum anúncio de programa meu em algum lugar e não conseguiu me contratar, sinto em informar que a culpa não foi minha. É porque realmente não trabalho nesta função. Sou cantora, empresária, compositora, coreógrafa e outros negócios (que não são da indústria pornográfica) mas que são tantos que teria que ficar algumas horas aqui escrevendo. Dou emprego pra aproximadamente 50 famílias diretamente”, respondeu a cantora.

Anitta sugeriu ainda que a publicação do pastor seria, na verdade, uma estratégia para se promover: “Sei como é importante e estratégico usar um nome de notoriedade na mídia para ganhar e espaço e assim começar a divulgar seu trabalho próximo ao ano eleitoral”, escreveu.

As críticas a Otoni de Paula se estenderam de tal forma que o pastor vereador se viu obrigado a publicar uma retratação, atribuindo à sua assessoria o uso do termo “vagabunda de quinta”, e pedindo desculpas à cantora: “Antes de mais nada, gostaria de me desculpar com o termo ‘vagabunda de quinta’, que minha equipe acrescentou ao texto. Nem você ou qualquer mulher do mundo merece receber esse adjetivo pejorativo”.

[ad_2]

Fonte: Gospel Mais

Deixe sua mensagem