Conecte-se

Pastor se desculpa com LGBTs por “crueldade e injustiça” da Igreja da Escócia

Um reverendo pediu desculpas à comunidade LBGT por “crueldade e injustiça” sofrida pelas mãos da Igreja da Escócia. O discurso foi feito durante a Parada Gay da cidade de Perth.

O reverendo Scott Burton, da Igreja de São Mateus, ligada à Igreja da Escócia, abriu o festival que celebra os direitos LGBT e disse que foi uma “incrível honra” ser chamado para desempenhar um papel tão importante no evento.

Em seu discurso, o pastor progressista pediu desculpas à comunidade LGBT da região em nome da Igreja da Escócia por qualquer preconceito que tenha enfrentado da igreja ou de seus membros.

Na véspera, Burton declarou estar extasiado pelo convite: “Estou absolutamente na lua por ter sido convidado para abrir esta ocasião fabulosa, é uma honra incrível. Eu estarei aproveitando a oportunidade para pedir desculpas aos membros da comunidade LGBT se eles se sentiram feridos, insultados e ostracizados da Igreja da Escócia”, declarou, de acordo com informações do porta The Courier.

“Perdoem-nos por toda a dor que causamos a vocês e que continuamos a infligir. Nós nos solidarizamos com todas as pessoas aqui que foram condenadas e denunciadas espiritualmente, psicologicamente, emocionalmente e fisicamente por aqueles que tentam entender que as pessoas LGBT são de alguma forma de segunda classe”, acrescentou.

O contexto das declarações envolve uma decisão da Igreja da Escócia, em 2017, de também se desculpar com os LGBT pelo que atualmente é entendido como discriminação contra os gays e se comprometer a tratar essa comunidade de maneira melhor no futuro.

O reverendo aceita que muitas pessoas dentro da fé possam ter opiniões diferentes sobre a questão, mas decidiu dizer que os LGBT são bem-vindos em sua igreja. “Quero que todos saibam que minha congregação e a equipe de liderança da Igreja de São Mateus estão com cada pessoa aqui que foi condenada ao ostracismo e criticada pela Igreja por simplesmente ser quem são”.

“Eles não são de segunda classe e eu, e um número crescente de pessoas dentro da Igreja, acreditam que são as pessoas que Deus criou para serem. O amor muda o mundo para melhor e espero e oro para que a primeira Parada Gay de Perth seja um dia de amor, não de ódio”, finalizou.



Fonte: Gospel Mais

Deixe sua mensagem