Conecte-se
Search

Pastor tem liberdade negada na Turquia, mas testemunha sua fé em audiência

O caso envolvendo a prisão do pastor americano Andrew Brunson ganhou um novo capítulo esta semana. Lideranças cristãs de várias partes do mundo aguardavam ansiosas o desfecho da audiência realizada na última quarta-feira, na expectativa de que o pastor fosse liberto da cadeia, mas para tristeza de todos não foi isso o que aconteceu.

Preso desde 2016 por acusações falsas de terrorismo, o justiça da Turquia negou mais uma vez o pedido de liberdade feito pela defesa de Brunson. Ele é acusado de cooperar com o líder muçulmano Fethullah Gülen, apontado como o responsável pela tentativa de golpe contra o presidente Recep Erdogan.

“O governo da Turquia continua ridicularizando a justiça quando se trata do pastor Brunson. Hoje eu esperava ver o juiz ordenar sua libertação completa e acabar com esse erro. As autoridades turcas ainda não forneceram uma boa razão para privar o pastor Brunson de sua liberdade”, declarou a vice-presidente da Comissão Internacional de Liberdade Religiosa dos Estados Unidos, Kristina Arriaga.

Segundo informações divulgadas pela organização World Watch Monitor, que também monitora os índices de perseguição religiosa aos cristãos no mundo, o presidente americano Donald Trump deverá continuar pressionando o governo turco através de sanções econômicas, até que o pastor Brunson seja liberto.

“A administração Trump e o Congresso dos EUA devem continuar exercendo pressão, incluindo o uso de sanções contra os funcionários ligados a este caso, até que o pastor Brunson seja libertado”, disse Arriaga.

Um novo julgamento está marcado para o dia 12 de outubro, mas a desconfiança quanto à honestidade do julgamento permanece, pois acredita-se que o próprio Governo está agindo intencionalmente contra o pastor.

“[Erdogan] têm um histórico comprovado de preconceito anticristão e anti-missionário e não receberiam de bom grado a libertação de Brunson”, alertou um ex-membro da oposição do parlamento turco.

Testemunho de fé

Apesar da injustiça e sua condição de preso por conta da sua fé em Jesus Cristo, o pastor Brunson se manteve firme durante o julgamento, testemunhando através da sua postura e palavras o Espírito de Deus em sua vida.

Três testemunhas de acusação depuseram contra o pastor, enquanto apenas uma falou em seu favor. Quando o juiz mandou Brunson responder às acusações das testemunhas, ele disse: “Minha fé me ensina a perdoar, então eu perdoo aqueles que testemunharam contra mim”.

“O testemunho de Andrew foi absolutamente poderoso. Ele apresentou o Evangelho com confiança e se defendeu com ousadia”, disse Bill Campbell, pastor da Igreja Presbiteriana de Hendersonville que também estava presente na audiência.



Fonte: Gospel Mais

Deixe sua mensagem