Preso por estupro de menor, homem se passava por pastor evangélico

20

Nas últimas duas semanas o Brasil virou manchete internacional com a revelação de que o médium conhecido como “João de Deus“, requisitado dentro e fora do país, teria cometido centenas de abusos sexuais durante suas consultas espirituais em Abadiânia, Goiás.

O caso chamou atenção da comunidade religiosa em geral, de várias religiões, alertando sobre o perigo da influência exercida por falsos líderes religiosos sobre pessoas emocional e psicologicamente vulneráveis.

Não por acaso, dessa vez outro caso envolvendo abuso sexual e a figura de um homem que se apresentava como líder espiritual reforça o alerta de atenção quanto aos falsos mestres. Se trata de Rogério Ferreira dos Santos, de 42 anos, que foi preso após ser condenado por estupro de vulnerável.

Santos se passava por pastor evangélico no município de Simões Filho, que fica na Região Metropolitana de Salvador (RMS) e a 170 km de Castro Alves, local onde também cometeu o crime.

Aline Cristina Freitas, delegada responsável pelo caso, afirmou que Rogério estava tentando conseguir a tutela de três crianças, quando descobriram que em seu histórico havia uma condenação por estupro de menor.

“Depois de levantar algumas informações, tomamos conhecimento que ele havia sido condenando na cidade de Simões Filho”, disse ela, segundo informações da mídia local.

Com isso, o alerta feito pelo pastor Gutierres Siqueira sobre o perigo de líderes religiosos que manipulam fiéis em prol dos seus interesses ganha ainda mais repercussão.

“O apóstolo disse que os falsos mestres têm ‘os olhos cheios de adultério, nunca param de pecar, iludem os instáveis e têm o coração exercitado na ganância’ (2 Pedro 2.13)”, declarou o pastor em outra ocasião.



Fonte: Gospel Mais