Saiba a verdade sobre a morte do guitarrista das celebridades gospel

A morte do guitarrista Sérgio Knust, abalou o mundo gospel e comoveu milhares de pessoas que admiravam o seu trabalho. O músico estava desaparecido desde a noite do último sábado 8 de dezembro, e a família já temia que algo ruim havia acontecido.

+ Clama Bahia cai em desgraça e se torna o maior fiasco gospel de 2018

Na manhã dessa segunda-feira (10), foi confirmada a triste notícia de que o músico havia sido encontrado sem vida. As primeiras informações apontavam para um acidente automobilístico.

O carro de Knust foi encontrado em meio a uma vegetação na RJ-130, em Nova Friburgo, na Região Serrana do Rio. O acidente não deixou marcas de pneu nem na pista, nem na vegetação. O carro rolou a ribanceira e parou atrás de uma casa. A PM suspeitou que o carro tinha capotado na curva.

+ Com câncer, Ludmila Ferber se despede dos palcos e recebe homenagens

No final da noite de ontem (segunda), circulou em grupos de WhatsApp que a causa da morte não foi o acidente. A família confirmou a informação de que segundo o resultado do laudo dos médicos, Knust sofreu um “infarto fulminante”, antes de perder o controle do carro e capotar.

Amigos e familiares sofrem com a perda do músico que era muito querido pelos artistas com quem já trabalhou, e também pelos milhares de fãs espalhados em todo Brasil.

O velório de Sérgio Knust irá será no “SAF Memorial” em Friburgo Campo dos Coelhos Estrada km 5 Teresópolis/Friburgo.

O sepultamento será às 11:00hs desta terça-feira, porém o velória irá iniciar às 9:00hs.

+ Castigo? Daciolo decepciona evangélicos e passa maior vergonha de sua história

Pastora Juliana Salles é transferida para presídio em Cariacica

Pastora Juliana Salles (Reprodução)

Pastora Juliana Salles (Reprodução)

Na última sexta-feira (07), a pastora Juliana Salles, foi transferida para uma penitenciária do Espírito Santo. A informação foi confirmada pela Secretaria de Administração de Penitenciária de Minas Gerais (Seap/MG). Juliana estava presa no Presídio Feminino de Teófilo Otoni (MG), desde o último dia 15 novembro.

+ Castigo? Daciolo decepciona evangélicos e passa maior vergonha de sua história

Em nota, a Seap informa que Juliana “Foi desligada do sistema mineiro na última sexta-feira” e “transferida para comarca de origem”. Ainda ressalta que, por motivos de segurança, não fornece detalhes sobre a transferência.

A pastora Juliane é mãe dos meninos Kauã Salles Butkovsky, de 6 anos, e Joaquim Salles Alves. Eles foram mortos em um incêndio proposital no último dia 21 de abril deste ano, na casa ondem viviam em Linhares ES.

+ Cantor gospel posta vídeo em bar cantando música secular e é criticado por seguidores

Segundo a Polícia Civil, eles foram agredidos, estuprados e queimados vivos por George Alves Gonçalves, pai de Kauã, e padastro de Joaquim. Ele está preso desde o dia 28 de abril no Centro de Detenção Provisão de Viana II, na Grande Vitória.

George e Juliana eram pastores da Igreja Batista Vida e Paz. O crime chocou o país, os dois ficaram conhecidos como os “Nardonis gospel”.

A acusação contra a pastora, que acabou sendo acatada pelo juiz, foi feita pela promotora Rachel Tannembaum. Ela acusa a pastora de saber do risco que as crianças sofriam ao deixa-las sobre os cuidados de George Alves e viajar para um congresso evangélico.

+ Com câncer, Ludmila Ferber se despede dos palcos e recebe homenagens

Sendo assim, a promotoria concluiu que Juliana cometeu crime de omissão, e por tanto, deverá ser responsabilizada pela morte das crianças.



Fonte: Fuxico Gospel