Saiba quais exames as mulheres precisam fazer todo ano

Por mais que você se sinta ótima e plena, sem nenhuma dor ou incômodo físico (um corrimento, por exemplo), é preciso contar com a confirmação médica periódica de que está tudo bem com sua saúde para seguir tranquila.

Para nós, mulheres, o especialista mais importante é o ginecologista: é ele que solicita os exames de rotina que checam o estado geral do organismo e aspectos pontuais femininos – a integridade do útero e das mamas, por exemplo – e analisa seus resultados.

“Como vários exames precisam ser repetidos anualmente independentemente dos resultados anteriores, a recomendação é que as consultas sejam uma vez por ano”, afirma a ginecologista e obstetra Ana Maria Ribeiro. Ela também destaca a importância de fazermos a consulta de retorno com os resultados em mãos – mesmo que já tenhamos espiado a papelada e visto que está tudo aparentemente ok: “Muitas vezes, mesmo dentro dos parâmetros esperados, há alguma alteração de um ano para o outro que chama a atenção do médico, mas a paciente nem tem ideia.”

Com a ajuda de Ana Maria e dos também ginecologistas e obstetras Alberto Guimarães e Vamberto Maia Filho, o site MdeMulher mostra a lista dos exames que você deve fazer todos os anos.

Não importa se sua vida está corrida: reserve um espaço em sua agenda, marque as consultas, faça os exames solicitados, realize o retorno e siga todas as orientações de seus médicos. Encare tudo isso como investimento, e não como “tempo desperdiçado”, pois sua saúde é importante!

Papanicolau

Também chamado de preventivo ginecológico ou citologia oncótica do colo uterino. É o exame que verifica a saúde do colo do útero (se tem infecções ou alterações na região) e também busca sinais de infecções por fungos e vírus, herpes e verrugas na região genital feminina.

A coleta é realizada no consultório ginecológico com o auxílio de um espéculo (o “bico de papagaio”), que deixa o colo do útero bem exposto para o médico. É feita uma leve raspagem no colo do útero e em seu entorno e esse material é colocado em uma lâmina que é encaminhada para um laboratório para a análise. O resultado costuma ser enviado diretamente para o consultório, ou seja, para este exame estar completo você terá que fazer a consulta de retorno, sim.

Embora a recomendação mais comum seja pela realização anual do papanicolau após o início da vida sexual, alguns médicos optam por realizá-lo a cada três anos depois de dois resultados negativos seguidos. Não estranhe, portanto, se seu médico “pular” essa solicitação. E claro: se ficar em dúvida quanto a isso, pergunte na consulta.

Colposcopia

É um exame complementar ao papanicolau para a biópsia de lesões causadas por infecções sexualmente transmissíveis, como verrugas. O material é retirado da mesma forma que para o papanicolau, mas colocado em reagentes líquidos; em seguida, é enviado para um laboratório, que retornará o resultado para o consultório médico (não para você).

Esta é uma das formas mais certeiras de diagnosticar o HPV e seus subtipos – e, assim, determinar como deve ser o tratamento para evitar o risco de surgimento de câncer de colo de útero.

Ultrassom transvaginal

Detecta miomas, pólipos no endométrio, endometriose, nódulos na cavidade ou na parede uterina e analisa o ovário (volume, posição e presença de cistos). É especialmente importante para as mulheres que usam DIU, pois é este exame que verifica se ele está bem posicionado – se não estiver, a eficácia do contraceptivo cai drasticamente.

O aparelho é colocado pelo canal vaginal ao lado do útero, normalmente envolto em uma camisinha com gel lubrificante, para evitar lesões na introdução. Ao longo do exame, são feitas capturas de tela para demonstração e análise da saúde e dos sinais da região. Os resultados costumam ser entregues para a própria paciente

Ultrassom das mamas

Identifica possíveis cistos, nódulos e tumores na região mamária de mulheres mais jovens (até os 40 anos) e/ou com mamas mais densas (independentemente da idade).

Deitada e com os braços levantados, a paciente tem as mamas e as axilas investigadas pelo ultrassom em movimentos circulares. Ao longo do exame, são feitas capturas de tela para demonstração e análise das características e dos sinais da região. Os resultados costumam ser entregues para a própria paciente.

Mamografia

A partir dos 40 anos, é preciso fazer a mamografia complementarmente ao ultrassom das mamas. Trata-se de uma avaliação das mamas por meio de raio-X para detectar tumores cancerígenos ou sinais que possam indicar algum risco e, assim, permitam um acompanhamento mais cuidadoso e um diagnóstico super precoce da doença.

Se houver histórico de câncer de mama na família, este exame pode ser pedido antes dos 40 anos de idade e com intervalos menores que um ano.

O procedimento é feito com a paciente em pé, sem blusa, sutiã ou qualquer interferência metálica (correntes, brincos e piercings). A mama é colocada no aparelho mamógrafo e “comprimida” por suportes inferior e superior para a captura de imagens. Os resultados costumam ser entregues para a própria paciente.

Ultrassom de tireoide

Detecta anormalidades, como nódulos ou tumores, na glândula tireoide. Também auxilia no diagnóstico de hipertireoidismo, hipotireoidismo, nódulos e bócio benignos e câncer da tireoide. É importante realizar este exame anualmente porque as alterações nesta região podem ocorrer em mulheres de todas as idades. Quando mais cedo for feito o diagnóstico, mais fácil será determinar o tratamento e maiores serão as chances de normalização e cura.

Os hormônios produzidos pela tireoide são responsáveis pelo metabolismo basal, o que significa que são eles que garantem o funcionamento correto do organismo; se algo estiver errado ali, haverá alteração significativa na vida da paciente, como ganho ou perda significativo de peso, queda na disposição, alterações na pressão arterial, tremedeiras e outros incômodos.

O exame é feito como qualquer outro ultrassom, na região frontal do pescoço, onde fica a tireoide. Ao longo do exame, são feitas capturas de tela para análise dos sinais da região. Os resultados costumam ser entregues para a própria paciente.

Hemograma completo

Para verificar como está o funcionamento do organismo como um todo. Costumam ser solicitadas as análises de hemácias (glóbulos vermelhos), leucócitos (glóbulos brancos) e plaquetas, além de outros aspectos pontuais que o médico considerar pertinentes de acordo com a saúde da paciente. É por meio dele que são detectadas, por exemplo, anemia e doenças autoimunes.

É feita a coleta do sangue necessário em laboratório e as análises são realizadas em um período de um a cinco dias úteis. Os resultados costumam ser entregues para a própria paciente.



Fonte: Guia-me