Conecte-se
Search

Temida tribo de “quebradores de crânios” é alcançada pelo Evangelho, na Amazônia

Há diversos povos indígenas vivendo no Brasil. Muitos já foram alcançados pelo Evangelho de Jesus Cristo, tendo a oportunidade de evoluir moralmente suas concepções de mundo e abandonar algumas práticas terríveis, como o infanticídio.

Apesar dos avanços missionários, algumas tribos continuam muito fechadas ao Evangelho, e uma delas era a “Skull Splitter”, conhecida em português como “Rachadores de Crânios”.

Entretanto, segundo informações de Larry Buckman, um experiente missionário da Renew Outreach, a realidade espiritual dessa tribo mudou radicalmente, após os anciãos do grupo decidirem enviar cinco dos seus membros para encontrar os missionários, a fim de saber mais a respeito do “Filho de Deus”.

“Eles enviaram cinco caras”, disse o missionário. “Por que eles decidiram caminhar 10 dias direto para o norte para encontrar alguém? Eles não tinham como saber que havia alguém lá em cima [em outra região]. É claro que o Espírito Santo estava liderando eles.”

“À noite eles ficavam possuídos por demônios, batiam em suas esposas e abriam suas cabeças com seus porretes.

“A tradição era que se uma garota ia se casar com outro homem, o homem mais velho da tribo a teve em primeiro lugar. Se ela deixar o jovem tê-la em primeiro lugar, ela a espancará”, relatou Bob, um missionário que encontrou a tribo há mais de 50 anos atrás.

Ele contou a Larry o que viu em seu encontro, explicando que a tradição da tribo era espancar às mulheres que tinham relações sexuais com seu pretendente a casamento, antes de fazer sexo com o líder da tribo.

“Eles quase nos mataram”, disse Bob. Porém, os cinco membros da tribo chegaram ao rio Palimi-ú em setembro de 2012 e lá encontraram os missionários Paul e Bethany, que já viviam na região há 14 anos, estudando o idioma local e traduzindo o Novo Estamento.

Apesar do encontro assustador, os missionários logo perceberam que o motivo da viagem era outro. “Estamos cansados ​​de viver da maneira que sempre vivemos”, disseram a Paul e Bethany um dos indígenas, segundo o Christian Post.

“Nós estamos matando pessoas e nos drogando. Queremos viver uma vida diferente. Alguém nos contou sobre o Filho de Deus. Você sabe quem é?”, perguntou eles. Desde então os homens ouviram sobre o Evangelho, foram batizados em seguida e levaram às Boas Novas aos demais da tribo.



Fonte: Gospel Mais

Deixe sua mensagem