Tempo para orar (Rachel Olsen)

CULPA. Muitos cristãos com quem converso usam esta palavra para descrever sua vida de oração.  E eu me identifico com isso.

Eu costumava me sentir culpada. Pessoas me pediam para orar, ou eu me oferecia voluntariamente quando escutava que elas estavam atravessando alguma dificuldade. Com um coração cheio de compaixão eu respondia “Oh, eu orarei por você!” e eu realmente pretendia fazer isso. Mas então eu me esquecia… Me ocupava… Dizia aquilo para outras cinco pessoas… E frequentemente sequer chegava perto de fazer isso, apesar de minhas boas intenções.

Eu deixava para orar depois, quando eu tivesse um espaço de tempo maior disponível. Então a vida apenas acontecia e aquele espaço de tempo nunca se materializava. Quando eu conseguia um tempinho, eu não conseguia mais me lembrar de tudo que eu pretendia orar.

Eu tinha a percepção de que eu precisava gastar muito tempo orando para “fazer tudo certo”. Eu pensava que orações curtas não tinham muito poder ou impacto. Então percebi algo que mudou meu pensamento. Em Mateus 6 Jesus está ensinando como orar. Ele diz “E, orando, não useis de vãs repetições como os gentios, que pensam que por muito falarem serão ouvidos. Não vos assemelheis, pois, a eles; porque vosso Pai sabe o que vos é necessário, antes de vós lho pedirdes.” (Mateus 6:7-8)

Uau, então eu não tenho que falar por horas, vindo com frases eloquentes fazer minhas petições? Foi libertador ver isso vindo dos próprios lábios de Jesus.

Aquela descoberta foi seguida por um outro momento de “Ah-há!” No próximo verso Jesus diz “Portanto vós orareis assim: Pai nosso, que estás nos céus, santificado seja o teu nome; venha o teu reino, seja feita tua vontade, assim na terra como no céu; o pão nosso de cada dia nos dá hoje; e perdoa-nos as nossas dívidas assim como temos perdoado aos nossos devedores; e não nos deixe cair em tentação; mas livra-nos do mal. Porque teu é o reino, o poder e a glória para sempre. Amém.” (Mateus 6:9-13) Esta oração é frequentemente chamada de “a oração do Senhor.”

Pare um momento, olhe para o relógio, e recite a oração do senhor em voz alta. Depois verifique o relógio novamente. Quanto tempo isso levou? Este é o modelo que Jesus nos deu para mostrar-nos como orar – o que nos faz sentir que devemos fazer looongas orações para sermos efetivos?

Escute, existem coisas que exigem um tempo de oração mais extenso (vide a oração de Jesus no Getsêmani, em Mateus 26:36-46, por exemplo). Mas podemos orar por muitas coisas em curtas orações durante nossos afazeres ao longo do dia.

Agora, quando um amigo me manda algum e-mail com alguma história problemática, eu raramente respondo dizendo “Eu vou orar por você.” Ao invés disso, eu paro, oro por ele/ela e depois respondo “Eu orei por você.” Se alguma pessoa me liga, ou me conta pessoalmente sobre alguma necessidade de oração, eu geralmente me ofereço para orar naquele mesmo instante. Se eu encontro alguma razão para orar enquanto estou lendo o jornal ou a Bíblia, eu faço isso naquele momento. Meu objetivo não é fazer orações demoradas e elaboradas, mas sim fazer isso enquanto minha mente estiver nisto.

Se eu sinto necessidade de orar repetidamente por alguém, eu sigo adiante com meu cuidadosamente ponderado plano de oração. Decidir a muitos anos atrás, orar diversas orações curtas, foi fundamental para mim. Esta é uma maneira viável de “orar sem cessar” e me ajudou a aliviar os sentimentos de pressão, fracasso e culpa.

E o mais importante, isso garante que as necessidades das pessoas estarão sendo acobertadas de oração, que é o objetivo final, certo?

Na medida em que eu leio a Bíblia, eu vejo instruções para orar com frequência, com fé e persistência, por todas as nossas necessidades e preocupações. Mas eu não vejo nada sobre devermos orar por horas por cada questão para Deus ouvi-las.

Espero que isto surta em você o mesmo efeito que surtiu em mim – e troque o sentimento de culpa por uma paixão renovada por orar.

Oração:Querido Deus, me ajude a orar frequente e persistentemente com fé, de acordo com tua vontade. Em nome de Jesus, amém.

 

Aplicação Prática: proponha-se a orar no momento em que a necessidade surgir.

Reflexão: Oração é parte regular de meu dia-a-dia, ou é algo que costumo “deixar para mais tarde”?

Versículo de apoio: Salmo 66:20 “Bendito seja Deus, que não rejeitou a minha oração, e nem desviou de mim a sua misericórdia.”

Autora: Rachel Olsen

Tradutora: Kátia Michele Jurk Avalos

Fonte: Christianity.com