Tudo sobre intoxicação alimentar

O clínico geral e médico da Família, Dr. Luiz Farias, do Centro de Estudos e Pesquisas Dr. João Amorim (Cejam), explica abaixo o que é a intoxicação alimentar, os tipos mais comuns, as causas e de dicas de prevenção da doença.

O que é?

A intoxicação alimentar é uma doença causada pela ingestão de alimentos que contêm organismos prejudiciais ao nosso corpo, como bactérias, parasitas e vírus. Eles são encontrados principalmente na carne crua, frango, peixe e ovos, mas podem se espalhar em qualquer tipo de alimento.

A intoxicação alimentar pode acontecer com alimentos que são deixados ao ar livre ou que ficaram armazenados por muito tempo. Às vezes, a intoxicação alimentar acontece quando você não lava as mãos antes de tocar na comida.

Quais são os sintomas?

Os sintomas da intoxicação alimentar geralmente afetam o estômago e intestinos, sendo que o sinal mais comum é a diarreia. Outros sintomas incluem: náusea, vômitos, diarreia aquosa, dor abdominal, cólicas e febre.

Esses sintomas podem começar dentro de horas após a ingestão do alimento contaminado, mas pode demorar dias ou até mesmo semanas em alguns casos. A intoxicação alimentar geralmente dura de um a 10 dias. Tudo depende do organismo que causou a infecção e quais as condições de saúde da pessoa infectada.

Qual é o tratamento?

O tratamento para intoxicação alimentar depende da origem da doença, se conhecida, e a gravidade dos seus sintomas. Para a maioria das pessoas, a doença se resolve sem tratamento dentro de poucos dias, embora alguns tipos de intoxicação alimentar possam durar uma semana ou mais.

Para alguns casos, o tratamento da intoxicação alimentar inclui: reposição de líquidos perdidos na diarreia ou vômito por via intravenosa no hospital. Hidratação intravenosa fornece ao corpo água e nutrientes essenciais muito mais rapidamente do que as soluções orais.

O médico pode prescrever antibióticos se você tiver uma intoxicação alimentar bacteriana e os seus sintomas são graves. Alguns tipos de intoxicação alimentar bacteriana podem requerer tratamento no hospital, com antibiótico por via intravenosa.

Como se prevenir?

Lave as mãos, os utensílios e as superfícies de alimentos muitas vezes. Lave bem as mãos com água morna e sabão antes e depois de manusear ou preparar alimentos. Use água quente e sabão para lavar os utensílios e outras superfícies que você utiliza para cortar alimentos.

Mantenha os alimentos crus separados de alimentos prontos para o consumo. Ao fazer compras, preparar a comida ou o armazenar alimentos, mantenha a carne crua, aves, peixes e frutos do mar longe de outros alimentos. Isso impede a contaminação cruzada. Cozinhe os alimentos a uma temperatura segura.

A melhor maneira de saber se os alimentos são cozidos a uma temperatura segura é usar um termômetro próprio para cozinhar alimentos. Você pode matar organismos nocivos na maioria dos alimentos por cozinhá-los à temperatura certa. O ideal é refrigerar ou congelar os alimentos dentro de duas horas após comprá-los. Descongele os alimentos com segurança. Não descongele os alimentos à temperatura ambiente. A maneira mais segura para descongelar alimentos é na geladeira. Se for usar o micro-ondas, use o “degelo”.

Manter água fria corrente sobre a comida também descongela com segurança. Jogue o alimento fora em caso de dúvida. Se você não tem certeza se um alimento foi preparado, servido ou armazenados de forma segura, descarte-o. Alimentação deixada à temperatura ambiente por muito tempo pode conter bactérias ou toxinas que não podem ser destruídas por cozimento. Mesmo que ela cheire bem ou tenha boa aparência, pode não ser seguro comer.



Fonte: Guia-me