“Uma pessoa ocupada demais para orar não consegue ter uma vida devota a Deus”, diz pastor

Existem dois obstáculos que podem atrapalhar a vida de oração: o excesso de tarefas e o mundanismo. A constatação é do autor e pastor norte-americano Tim Cameron.

“Eu gosto de dizer que há dois grandes obstáculos para a oração: estamos muito ocupados ou somos muito mundanos. Viver ocupado rouba nosso tempo para orar e o mundanismo rouba a nossa vontade de orar”, explicou em entrevista ao podcast “Greenelines”.

“Uma pessoa que está muito ocupada para orar está ocupada demais para levar uma vida piedosa. Uma pessoa que é muito mundana entregou sua vontade ao mundo”, acrescenta Cameron.

O pastor observa que a oração sempre foi relevante no ministério de Jesus: a Bíblia relata 23 momentos em que Cristo orou em voz alta.

“Lucas nunca conheceu Jesus. Quando ele decidiu escrever sua história, ele procurou as testemunhas oculares. Nós sabemos que Jesus provavelmente se revelou para cerca de 752 mil pessoas durante os 40 dias após ter ressuscitado dos mortos. Uma das coisas majestosas que Lucas relatou é que Jesus frequentemente se retirava para orar”, afirma Cameron.

Uma curiosidade que surge é: como Jesus orava? “A Bíblia diz repetidamente que Jesus não fez nada por conta própria, que Ele só falou as coisas ouviu o Pai dizer. Se esse é o caso, isso nos mostra que a vida de oração de Jesus era muito mais sobre ouvir do que sobre falar”, analisa.

Cameron acredita que é importante separar tempo para a oração aliado a um hábito de oração durante as tarefas do dia a dia. “Você tem que definir momentos de oração com o Senhor, e você tem que ter um espírito de oração sobre a sua vida ao mesmo tempo. É importante ter ambos”.



Fonte: Guia me