Uma vida sobrecarregada (Glynnis Whitwer)

“Procura conhecer o estado das tuas ovelhas; põe o teu coração sobre os teus rebanhos…” (Provérbios 27:23)

Nós abarrotamos malas, mochilas e sacolas no carrinho de bagagens e corremos para o balcão. Atrasados para o vôo, nós pensamos que economizaríamos tempo colocando tudo no mesmo carrinho. Depois de poucos passos, alguma coisa começou a escorregar. Meu marido estava empurrando e eu estava puxando, numa tentativa de equilibrar o carrinho sobrecarregado. Estávamos indo bem até nos aproximarmos do elevador.

Nosso filho mais velho, com sete anos naquela época, segurou a porta do elevador aberta.  Mas, quando tentamos frear o carrinho, as bagagens começaram a cair. Robbie, que estava com três anos e tinha quebrado o pé, parou na frente do carrinho. Meu marido não o viu, pois enquanto empurrava o carrinho se inclinou para pegar uma sacola que estava escorregando, e passou por cima do pé de Robbie.

Robbie chorou, meu marido gritou por ajuda e o elevador começou a apitar avisando que a porta já estava aberta a tempo demais. Nosso filho Josh começou a chorar de medo. Em segundos estávamos em uma confusão total!

Se apenas… Se apenas tivéssemos saído do hotel com tempo extra, se tivéssemos antecipado a espera do retorno do carro alugado, se não tivéssemos saturado o carrinho de bagagens, se não tivéssemos ficado frustrados com as crianças amedrontadas e machucadas.

O arrependimento ficou mais pesado na medida em que corríamos para o nosso portão de embarque, aonde pegamos nosso vôo nos últimos segundos.

Bem que eu gostaria que aquele dia tivesse sido uma exceção, mas durante aquela época da minha vida eu sempre tentava fazer mais alguma coisinha antes de sair de casa, encaixar mais uma tarefa na minha tarde já cheia de compromissos ou assumir mais do que eu dava conta de suportar.

O problema??? Eu tinha uma vida sobrecarregada!

Minhas responsabilidades excediam minha capacidade de gerenciá-las. Eu estava frustrada todos os dias – com minha casa, com meu marido, com meus filhos. Por que não podíamos suportar isso todos juntos? Por que a demandas não param? Por que é que todos precisam tanto de mim???

Até que chegou o dia em que eu já não podia mais negar a realidade.  Eu não podia culpar ninguém, encontrar desculpas ou procrastinar. Eu estava caindo aos pedaços, e minha família estava sofrendo. Isto tinha que parar.

Provérbios 27:23 diz: “Procura conhecer o estado das tuas ovelhas; põe o teu coração sobre os teus rebanhos”  Era exatamente o que eu precisava fazer. Mesmo sendo doloroso, eu dei uma olhada honesta em todas as minhas responsabilidades, projetos, prioridades e tarefas, prestando uma atenção especial ao que eu realmente estava fazendo bem e o que eu estava negligenciando.

Eu listei coisas que preciso fazer pelo meu lar, pelo meu trabalho e pela minha família. O que precisa ser feito agora e projetos para o futuro.  Lembrei-me de quando voluntariamente tomei responsabilidades na escola e na igreja. Levou alguns dias para as coisas que esqueci  voltarem a minha mente. E quando isso aconteceu a culpe era esmagadora – tive vontade de queimar tudo e começar de novo.

Ao invés disso, comecei a editar minhas listas. Depois de passar um bom tempo orando e buscando saber qual era a vontade de Deus para aquela época da minha vida, eu deixei de lado algumas responsabilidades que não eram mais vontade de Deus para minha vida e que outras pessoas poderiam assumir. Eu limitei minha lista para o que eu posso gerenciar, considerando minhas prioridades como esposa e mãe de três meninos.

Algumas coisas podiam ser imediatamente cortadas da minha vida, enquanto outras deveriam ser cumpridas antes de serem removidas da minha agenda.

Finalmente a vida se tornou controlável. A ansiedade de sentir o tempo todo que eu “deveria” estar fazendo alguma coisa cessou. Aquela lista sem fim se tornou uma lista de projetos semanais perfeitamente gerenciáveis. E desta lista separei as atividades das minhas listas diárias. Deus adicionou duas meninas na nossa família através da adoção, então agora sou mãe de cinco. E todos eles ainda precisam de mim. Mas, conhecendo bem as condições do meu rebanho, estou apta a gerenciar as partes “controláveis” da minha vida, de modo que posso lidar melhor com as partes “incontroláveis”.

Eu provavelmente sempre lutarei com minha tendência a acreditar que posso fazer mais do que realmente posso. Mas me dei conta de que meu otimismo pode machucar a mim e aos meus amados se eu não equilibrar cuidadosamente e com sabedoria a realidade da minha vida no momento presente. Eu aprendi do jeito mais duro que uma vida sobrecarregada leva ao caos. Mas uma vida bem administrada leva ao equilíbrio e a paz.

Oração: Querido Deus, o Senhor sabe o quão louca e fora de controle minha vida pode ser. Mas o Senhor nos chama para uma vida bem administrada. Me ajude a cuidar melhor de tudo o que posso controlar, e assim, me prepare para lidar com o que não posso. Preciso da sua sabedoria e discernimento hoje. Em nome de Jesus, amém.

Aplicação prática: Você se sente sobrecarregado ou esmagado? Faça uma avaliação pessoal escrevendo tudo o que você precisa fazer. Então, em oração, considere o que poder ser editado ou tirado de sua agenda.

Reflexão: Que mudanças posso fazer para ter mais equilíbrio e paz na minha vida?

Versículos de apoio: “E disse o Senhor: Qual é, pois, o mordomo fiel e prudente, a quem o senhor pôs sobre seus servos, para lhes dar a tempo a ração? Bem aventurado aquele servo a quem o seu Senhor, quando vier, achar fazendo assim.” (Lucas 12:42-43) 

Autora:Glynnis Whitwer

Tradutora: Kátia Michele Jurk Avalos

Fonte: Christianity.com