A pesca maravilhosa | Pescadores de homens

A pesca maravilhosa

Jesus estava habitando na cidade de Cafarnaum na Galileia (onde curou a sogra de Pedro, o paralítico e o servo do Centurião), quando se pôs próximo ao lago de Genesaré, o local da pesca maravilhosa milagrosa, e do chamado dos Apóstolos para serem pescadores de homens.

O Mestre já havia realizado muitos milagres naquela região, de sorte que a Sua fama corria toda a terra de Israel e da Síria (de onde veio a mulher Cananeia). E conforme as pessoas se aproximavam, Ele aproveitava para ensinar a palavra do Eterno para as multidões que a Ele fluíam.

A Galileia, sem dúvida é um local de uma beleza verde especial. É bem servida de chuvas, o solo é rico em nutrientes. É muito forte a agricultura, o crescimento das plantas a torna um enorme jardim!

O mar da Galileia, uma grande fonte de água doce, repleto de peixes tilápias, completava a beleza natural da terra que Deus prometeu a Abraão.

O mar da Galileia

mar da galileia

O mar da Galileia, local da pesca maravilhosa milagrosa.

No Evangelho de Lucas 5:1-11, encontramos registrado a história da pesca maravilhosa milagrosa, em que Jesus encontrou os Seus discípulos, futuros “pescadores de homens”, na praia, depois de uma longa noite de pescaria, um trabalho árduo, porém nada conseguiram apanhar com suas redes.

O mar da Galileia é também chamado de lago de Genesaré, mar de Tiberíades, ou mar de כִּנֶּרֶת Kineret. Esses nomes vem das cidades que estão às suas margens. É o maior lago de Israel, possui uma forma semelhante a uma harpa musical, com sua margem maior medindo cerca de 19 km, e sua margem menor com cerca de 13 km.

Ele é abastecido com as águas da primeira parte do rio Jordão. O derretimento contínuo da neve do monte Hermon , e a fonte de Cesareia de Felipe (em Banias), abastecem esse famoso lago, que é rico em peixes, principalmente as Tilápias.

Esse local é extremamente importante no ministério de Jesus, que realizou grandes milagres, tanto nas águas (Jesus andou sobre as águas e acalmou a tempestade, realizou a pesca milagrosa), quanto nas cidades que estão à volta.

Congregaram com Jesus

E aconteceu que, apertando-o a multidão, para ouvir a palavra de Deus, estava ele junto ao lago de Genesaré;
Lucas 5:1

A primeira palavra que me chama a atenção na narrativa da pesca maravilhosa, é o termo “apertando-o [a multidão]”, que na versão da Peshitta para Lucas em Hebraico, é הִתְקַהֵל “hitqahel”, que significa “ajuntar/congregar-se“.

Dessa mesma raiz vem a palavra קָהָל “qahal”, que significa “congregação”. No início do milagre da pesca maravilhosa, o texto de Lucas já nos avisa que as multidões possuíam um desejo de se congregar com Jesus. O Mestre era aquele que abriria as portas da Congregação do Eterno para todas as nações.

Lucas 5:1 em Hebraico, pesca milagrosa

Na pesca maravilhosa milagrosa, o povo queria congregar-se com Jesus.

Jesus sobe no barco

E, entrando num dos barcos, que era o de Simão, pediu-lhe que o afastasse um pouco da terra; e, assentando-se, ensinava do barco a multidão.
Lucas 5:3

Havia dois barcos na praia. O barco de Pedro, e o barco de Tiago e João. Jesus então, subiu no barco de Pedro e pediu que saísse da terra, para estar um pouco sobre a água. Jesus fez daquele barquinho o Seu púlpito, e o vento que soprava levava a Sua voz aos ouvidos do povo.

Mas eles estavam bem próximos à praia, em águas rasas. O Mestre ensinava a multidão, mas queria também deixar uma profunda lição para os Seus discípulos mais próximos. Seriam eles os pescadores de homens, responsáveis por proclamar o Evangelho às nações.

A pesca milagrosa aconteceu em águas profundas

E, quando acabou de falar, disse a Simão: Faze-te ao mar alto, e lançai as vossas redes para pescar.
Lucas 5:4

Jesus falou, todo aquele dia, palavras que traziam ensinamentos morais profundos. O Mestre contou diversas parábolas, que para entendê-las deve-se ir além da superfície das histórias. Precisa-se mergulhar e “pescar” os seus significados.

Jesus queria comparar a pregação do Evangelho e da Sua verdade, ao ofício que tantas vezes os pescadores exerciam no mar. Os discípulos já tinham trabalhado a noite anterior, mas não apanharam peixe, pois não saíram das águas rasas, totalmente.

A noite simboliza tempos de dificuldade espiritual. Para vencer uma batalha espiritual é necessário ter profundidade no que é espiritual. Se continuarmos com entendimentos “rasos” das Escrituras, corremos o risco de trabalhar sem resultados no Evangelho.

É por esse motivo que Jesus mandou que Pedro levasse o seu barco para o mar alto.

Alcançando os cardumes

O interessante da ordem de Jesus, quando disse a Pedro, “Faze-te ao mar alto“, é que na Peshitta, em Hebraico, os termos usados foram הַסֵּעַ אֶל הָעֹמֶק “hasseah el haomeq”, que pode ser traduzido como “desça” e “vá para o local profundo“.

“Descer”, na linguagem alegórica da Bíblia traz a ideia de “humildade”. Isso porque o mar representa os povos da terra. Os peixes são as pessoas, as almas que devemos ganhar para o reino de Deus.

O que Jesus estava dizendo para Pedro é que os peixes não estavam na superfície. Há “cardumes” que habitam em águas mais profundas, e para alcançá-los, devemos igualmente nos aprofundar no entendimento do Evangelho.

E isso se faz com oração, jejuns, busca, leitura, estudo e meditação na palavra do Eterno!

Evangelho “raso” não encontra “peixes” nesses tempos de “noite espiritual”. Filhos, já estamos nos últimos dias, e precisamos estar em um Evangelho mais “profundo”.

 A pesca maravilhosa

E, respondendo Simão, disse-lhe: Mestre, havendo trabalhado toda a noite, nada apanhamos; mas, sobre a tua palavra, lançarei a rede.
Lucas 5:5

Pedro ainda não tinha vivido a experiência sobrenatural que esperava por ele. Mas obedeceu à voz do Mestre. Obedeceu e não foi decepcionado, antes ficou maravilhado com a quantidade de peixes que conseguiram apanhar.

E, fazendo assim, colheram uma grande quantidade de peixes, e rompia-se-lhes a rede.

E fizeram sinal aos companheiros que estavam no outro barco, para que os fossem ajudar. E foram, e encheram ambos os barcos, de maneira tal que quase iam a pique.
Lucas 5:6,7

A pesca maravilhosa foi de tal magnitude que Pedro, Tiago e João se encheram de temor. Pedro começou a entender quem era o Filho do Homem:

E vendo isto Simão Pedro, prostrou-se aos pés de Jesus, dizendo: Senhor, ausenta-te de mim, que sou um homem pecador.
Lucas 5:8

Jesus porém veio não para afastar o homem de Si. Ele veio para resgatar e salvar aquilo que havia se perdido. O Mestre já tinha resgatado os Seus discípulos, mas agora precisava de fazer o mesmo com o restante da humanidade.

Pescadores de homens

Por isso Jesus diz a Pedro:

E disse Jesus a Simão: Não temas; de agora em diante serás pescador de homens.
Lucas 5:10

A esse verso, lendo diretamente do Hebraico, apenas acrescento a palavra “vida”, porque no original o Mestre disse, מֵעַתָּה בְּנֵי אָדָם תָּדוּג לְחַיִּים “meatah beney adam tadug lechayiym”, “de agora em diante, os filhos do homem tu pescarás para a vida“.

O verso seguinte, Lucas 5:11, diz que eles deixaram tudo na praia e seguiram a Jesus. E é assim que acontece com quem encontra o Evangelho, e entende a pesca maravilhosa que o espera.

Deixa-se tudo para servir ao Eterno. Aí não há prazeres carnais, que possam nos impedir. Largamos tudo! Até os nossos antigos hábitos mundanos são modificados. Porque há uma missão maior a cumprir.

Igualmente o reino dos céus é semelhante a uma rede lançada ao mar, e que apanha toda a qualidade de peixes.
Mateus 13:47

A segunda pesca maravilhosa

A segunda pesca maravilhosa está registrada em João 21:1-12, que ocorreu após a ressurreição de Jesus. Os Apóstolos estavam pescando, e novamente não conseguiram apanhar nenhum peixe.

Disse-lhes Simão Pedro: Vou pescar. Dizem-lhe eles: Também nós vamos contigo. Foram, e subiram logo para o barco, e naquela noite nada apanharam.
João 21:3

Pela manhã, Jesus estava na praia, mas os discípulos não o reconheceram. O Mestre mandou que lançassem a rede à direita do barco.

E ele lhes disse: Lançai a rede para o lado direito do barco, e achareis. Lançaram-na, pois, e já não a podiam tirar, pela multidão dos peixes.
João 21:6

Os Apóstolos logo reconheceram que era Jesus, pois lançaram a rede (a palavra do Evangelho) à direita, que aqui é a palavra Hebraicaהַיְמָנִי “haymany”, que significa “a direita/ a mão direita“.

Certamente eles devem ter se lembrado que o Mestre lhes ensinou a interpretação do Salmo 110:1, sobre o filho de Davi:

Disse o SENHOR ao meu Senhor: Assenta-te à minha mão direita, até que ponha os teus inimigos por escabelo dos teus pés.
Salmos 110:1

Ele mesmo, o Senhor deu a ordem de lançar a rede, de levar o Evangelho, para sermos pescadores de homens. E trazer tantos quanto possível, livrando-os do juízo, para fazê-los cidadãos do reino eterno que Jesus preparou para Seus filhos.

Ele a todos levantará com o anzol, apanhá-los-á com a sua rede, e os ajuntará na sua rede varredoura; por isso ele se alegrará e se regozijará.
Habacuque 1:15

Fonte: Brasil Gospel Club