“Eu escolhi não abortar meu bebê”, diz mulher ao celebrar formatura do filho

“Eu escolhi não abortar meu bebê”, diz mulher ao celebrar formatura do filho

Na quinta-feira (06), Camille Joy compartilhou sua história pessoal de alegria por escolher a vida em vez do aborto quando ela ficou grávida aos dezesseis anos de idade.

Embora estivesse na adolescência, assustada e envergonhada, Joy conta que optou por manter seu bebê, uma decisão pela qual ela diz ser grata todos os dias.

“Eu o tive com 16 anos”, escreveu Joy. “Eu escolhi não abortar meu bebê. Embora eu estivesse com medo e humilhado. Veja o que Deus fez com sua vida!”, compartilhou.

“Estou tão emocionada esta manhã”, continuou ela. “Meu peito dói porque estou muito orgulhosa. Isso é possível!”, exclamou.

Joy compartilhou como seu filho Quinton recentemente não só se formou na Escola Secundária Kolbe, mas que ele havia se formado com honras. “Ele não é pai, não tem antecedentes criminais, tem dois empregos, está se graduando com honras”, escreveu.

Ela orgulhosamente compartilhou que após sua graduação, ele está indo para jogar basquete no Keene State College. Quinton não apenas estará cursando o Keene State, mas recebeu bolsa suficiente para cobrir 75 por cento de suas mensalidades.

“Eu vou chorar o dia todo e não vou me segurar”, acrescentou ela. “Ele passou por mim e pelo que eu realizei nessa idade. Esse sentimento é tão pesado. Um bom peso. Obrigada Deus”, agradeceu ela.

Joy terminou seu post agradecendo a todas as pessoas que ajudaram a criar Quinton e a transformá-lo no homem que ele é hoje.

“Grite para a aldeia de Quinton, seu pai, meu marido (seu padrasto), avós, tias, tios, mentores, treinadores. Vocês todos ajudaram a garota naquela foto a criar um jovem incrível!”, declarou.

Em vez de abortar seu bebê, Joy decidiu que não havia outra opção além de ter Quinton e confiar em sua comunidade em torno dela para ajudar a empurrá-lo para frente.

A história de Joy é um exemplo da beleza que pode advir da escolha da vida e de se cercar de uma comunidade solidária.

Fonte: Guia me